A formação da Ordem e a forma hierárquica

O conhecimento, o saber e a dedicação em busca do renascimento são fundamentais para conseguir se tornar merecedor dos mistérios anunciados pelo Cristo, tais saberes e descobertas acontecem por inspiração do Divino Espírito Santo.

O crescimento pessoal, fortalece o coletivo na formação da Egrégora da Ordem. E todos devem trabalhar nesse sentido, formando um círculo de energia que proporcione a perfeita união do grupo com o Cristo e através dEle com Deus.

Um Cavaleiro ou uma Dama Templário sozinho é como uma árvore, que por mais frondosa que seja, se estiver só no meio do descampado, estará mais sujeita as intempéries climáticas, aos fortes ventos, as tempestades e as pragas. Sabiamente Jesus disse que “onde estiverem dois ou mais reunidos em meu nome, ali eu estarei” ou seja onde houver a Egrégora, ali Eu estarei, me manifestarei.

O Cavaleiro ou a Dama Templário que estiver só em uma região deve buscar a união com mais dois membros para a formação de uma Tercia, assim juntos poderão realizar seu próprio altar e nele realizar as Orações e evocações ao Divino Espírito Santo para a realização de seus estudos e a abertura de seus corações e sentires afim de obter a absorção dos ensinamentos sagrados.

Formada a Tercia, se dedicando e estudando, se entregando e acreditando, observando seu crescimento pessoal e coletivo sentirão a necessidade de continuar avançando e assim buscar formar outras Tercias ou então, encontrarem juntos a outros seis buscadores formarem uma Comendadoria. Nesta hora, será escolhido entre os nove um para ser nomeado Comendador.

Instalada a Comendadoria, recebido os novos estudos, fortalecidos os princípios que norteiam a construção do novo homem e a morte do velho homem, sentirão fome da Palavra e sede da Água Viva e serão incansáveis no trabalho para a formação de um Priorado. Assim, serão agraciados com novos estudos, ainda mais avançados.

O Priorado é composto de no mínimo vinte e um Fraters e Soros, sendo escolhido entre eles um para ser o Prior, ou então, nomeado diretamente pelo Gran Prior, o Legado Magistral ou pelo Grão-Mestre. Assim, serão agraciados com novos estudos, ainda mais avançados.

A união de três Priorados e/ou um Priorato e duas Comendadorias, levará ao estabelecimento de um Gran Priorato, que regerá as Tercias, Comendadorias e Priorados a ele vinculados por região. A formação de três Gran Prioratos em um mesmo Estado da Federação levará a criação de um Gran Priorato Estadual.

Os Gran Priores, assim como os indicados pelo Gran Prior do Brasil poderão fazer parte do Grande Conselho do Gran Priorato do Brasil – Cavalaria Espiritual São João Batista com direito a voto e voz, sendo que todos deverão obediência ao Legado Magistral do Brasil, como representante do Grão-Mestre, ao Gran Prior Internacional e como todos os demais membros da Ordem, em todo o mundo, ao Grão-Mestre.

Ao contrário do que muitos pensam, a formação de uma Ordem com tão profundos conhecimentos espirituais requer trabalho, dedicação e respeito aos princípios estabelecidos pela Ordem há cerca de 900 anos. Portanto, estas informações básicas visam informar aos Irmãos que sem trabalho, dedicação e persistência não existem conquistas.

Aos graduados os estudos estão às suas disposições em área própria que todos vós conheceis.