Sede do Gran Priorato Templário do Brasil

Construído todo em pedras a exemplo das obras do período Medieval e em formato octogonal, em homenagem ao Templo de Salomão, cujos escombros abrigaram os primeiros nove Cavaleiros da Ordem do Templo e o primeiro Grão-Mestre Hugo de Payns, instalado no Complexo Templário Jacques De Molay, o Templo do Gran Priorato Templário do Brasil – Cavalaria Espiritual São João Batista tem a capacidade de abrigar entre 80 e 100 Cavaleiros e Damas Templários.

A obra arquitetada e patrocinada pelo Gran Prior Fr.+++ Albino Neves tem todo um simbolismo Esotérico e foi construída no mesmo local onde antes construíra uma casa para seu pai morar e onde ele viveu até o dia de sua morte.

Com a morte do pai a casa foi demolida e para a surpresa dos construtores na hora de fazer o alicerce para a construção do Templo, foram encontrados vários fragmentos de meteoritos, o que, com o passar do tempo, tomou-se conhecimento através do livro “A meta secreta dos Templários”, de autoria de Juan G. Atienza que “os Templários, à semelhança da ordem beneditina e de outros grupos ocultistas que investigavam livremente, conheciam, ou pelo menos tinham razão para intuir, a realidade paranormal de determinados lugares, mesmo muitos séculos antes de esta realidade se tornar patente... O próprio fato de procurar hoje os lugares da aventura Templária  constitui, em si, a aventura apaixonante de uma busca no campo do insólito...” seria este fato uma coincidência? Porque na ocasião da construção da casa do pai não se encontrou tais fragmentos de meteoritos?

Outro fato curioso na área onde está construído o Complexo Templário Jacques De Molay é que na ocasião da construção da Ermida de Santa Maria Madalena foram encontrados fragmentos de rochas em formação que não concluíram sua formação por ocasião em que a terra teria sofrido sua última grande transformação. Ambos os materiais fazem parte do acervo do Complexo e estão à disposição para apreciação dos Irmãos.

A construção do Templo consta de oito paredes de 3 metros cada uma o que multiplicado encontra-se 24 metros, que somados os números resulta em 6. Tem 7,5 metros em cruz o que somados encontra-se 15 metros e somados os números resulta em 6, que somado aos outros 6 é igual a 12 o número de Apóstolos de Jesus Cristo. Mas não para aí se somarmos o 2 mais 1 chegasse a 3 que representa a Trindade Santa.

Além disso existem outras 4 colunas externas simbolizando os 4 pontos cardiais, ou seja, o infinito. O ORIENTE representava a Primavera, o Ar, Infância e a Madrugada. O MEIO DIA (Sul), o Estio, o Fogo e a Idade adulta. O OCIDENTE, o Outono, a Água, o Anoitecer. O NORTE, a Terra, o Inverno, a Noite. Eram as quatro fases da existência.

Cada uma das 12 colunas tem em sua base e em sua cabeça uma pedra de cristal, haja vista que o cristal simboliza a luz materializada. A soma deles é igual a 24, no entanto existe um cristal no centro do Templo e outro em sua base piramidal externa totalizando 26 cristais que somado chegasse novamente ao número 8 que representa o infinito.

Dentro do Templo uma luz em direção à Jerusalém fica acesa 24 horas durante todos os dias do ano indicando a direção em que nasceu Nosso Senhor Jesus Cristo o comandante da Milícia Branca da qual fazem parte os verdadeiros Templários.

Também se encontra esculpido em uma parede, onde se posicionam os dirigentes dos trabalhos o rosto de Jacques De Molay, o “último” Grão-Mestre da Ordem e uma placa em homenagem a ele, o que serve de exemplo para todos que não existe preço suficiente grande a ser pago para quem pretende seguir ao Cristo.

Além disso, existe em direção à cidade de Caravaca, uma Cruz nos mesmos moldes da que retrata naquele local os anjos que teriam aparecido com pedaços do lenho carregado sobre os ombros do Senhor.

Sobre as quatro colunas frontais do Templo encontram-se esculpidas os quatro Evangelistas com cerca de 1.70 cm de altura cada um, sendo que os dois de frente são João e Mateus e nas laterais Lucas e Marcos e nos pés de cada um os símbolos de cada um deles. A saber: João, dentre os quatro o maior teólogo, é representado por uma águia; Mateus é representado por um anjo ou homem alado porque inicia o seu evangelho com a genealogia de Jesus Cristo, mostrando a sua origem e descendência humanas; um touro alado simboliza o evangelista Lucas. Ele inicia o seu Evangelho falando do Zacarias, sacerdote em função naquele ano e cuja tarefa era oferecer sacrifícios no Templo de Jerusalém. O touro é a representação dos sacrifícios oferecidos; Marcos inicia o seu Evangelho falando de João Batista, a voz que clama no deserto. Seu símbolo é um leão alado, representando as feras que habitam o deserto. É a dimensão da força, realeza, poder e autoridade do Filho de Deus.

Na porta de entrada feita em madeira de lei antiga, pesando cerca de 200 quilos existem em suas laterais a escultura de uma Dama Templária e de um Cavaleiro Templário, simbolizando a escultura do lado esquerdo, o coração e a sensibilidade da mulher e/ou do Monge e a do lado direito o homem simbolizando o Guerreiro. A fechadura que tranca a porta da entrada tem quase dois séculos de existência e a chave, toda feita em bronze, mede aproximadamente 20 cm de comprimento.

A Banca que foi instalado o altar Templário pesa mais de 200 quilos de madeira maciça e tem um importante valor histórico, pertenceu a primeira olaria de fabrico de telhas da região.

Os pisos interno e externo são feitos em pedras, sendo que na parte interna do Templo existe uma cruz de oito pontas desenhada em pedras no chão além de outros desenhos geométricos como octógono, círculos e outros, todos feitos em pedras.

A obra foi construída pelo Mestre em construção de pedras Lelei e as esculturas feitas pelo escultor Afonso Barra.

O local foi sagrado pelo Gran Prior Internacional Fr.+++ V.M.Iacopo do GPIT-SMOTH em 1º de junho de 2012, quando aconteceram as quinze primeiras iniciações e, no dia 3, na iniciação pública ocorrida na cidade de Caiana, na Igreja de São João Batista, aconteceu a inauguração de uma escultura de São João Batista abençoando um Cavaleiro Templário idoso com cerca de 2 metros e meio de altura, ocasião em que estiveram presentes além do Gran Prior Fr.+++ V.M. Iacopo, os Priores Fr. ++ Albino Neves e Fr. ++ Cláudio Chincon (Chile), o Ascário Internacional Fr. ++ José Antonio Rodrigues, o Padre Edimilson José da Silva e vários prefeitos e autoridades da região.

“Não se pode creditar o mérito de uma obra dessas a esta ou aquela pessoa, pois tudo aconteceu por inspiração e sobre orientação divina, portanto toda a honra e toda a glória se deve a Deus” garante o Gran Prior Fr. +++ Albino Neves.